Institucional

santa-casa-santa-fe-do-sulA partir de um grupo de cidadãos desta comunidade liderada pela Igreja na pessoa do Padre Afonso, fundou-se em 1.968 á Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul, pela confecção e aprovação dos estatutos que a gerenciam.

 

Nunca existia verba de nenhum âmbito para a construção até que na administração Jeronimo de Paula, à custa de um programa de Televisão Tupi “Cidade contra Cidade” cujas as verbas eram entregues nas disputas para a compra de terreno, prédios ou bens hospitalares: exclusivamente Santa Fé do Sul se aglomerou junto a então Radio Santa Fé e Administração Pública mais toda á população, para São Paulo neste programa contra a cidade de Frutal M.G; daí resultou 32 contos de réis á disposição da cidade para início do plano Misericórdia.

 

Casa de Saúde Santa Fé, Casa de Saúde Dr. Rodolfo e Casa de Saúde Santa Terezinha entraram em concorrência pública de venda a primeira ganhou a concorrência passando a funcionar como Santa Casa de Santa Fé do Sul, cujo primeiro Provedor foi Jerônimo De Paula, seu Diretor Clinico Dr. Celso Xavier com mais quatro médicos no corpo Clínico, Dr. Flávio Magno de Menezes Guimarães, Dr. Nelson Coutinho Souto, Dr. Helvécio Botelho Siqueira e Dr. Jurandir Rezende de Carvalho.
Foi inaugurada em 06 de Dezembro de 1969.

 

ATA DA FUNDAÇÃO DA IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICORDIA DE SANTA FÉ DO SUL

Aos treze dias do mês de fevereiro de 1966, digo um mil novecentos e sessenta e seis, nos salão do clube Nipo, nesta cidade de Santa Fé do Sul, reuniram-se vários cidadãos da sociedade santa-fé-sulenses, com a finalidade de constituir a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul. Abrindo a sessão, usou da palavra Hélio de Oliveira, que convidou a mim, José Geraldo Barbuglia Abbade, para secretariar esta sessão, procurando explicar que a Mesa Administrativa a ser eleita, seria responsável pela Campanha da Construção do Hospital e pela Santa Casa de Misericórdia, durante esta fase inicial. Foi aparteado pelo Dr. Nelson Bechelli, que indicou o Padre Afonso Nepplen Brock para presidir esta Mesa Administrativa a ser constituída, cujo nome apontado foi eleito por aclamação. Uma vez eleito, o Padre Afonso assumiu a direção dos trabalhos da presente reunião. Usando da palavra, o Padre Afonso iniciou varias considerações a respeito de como deveria ser iniciada a Campanha. Aparteando novamente o Dr. Nelson Bechelli informou que em conversa com o prefeito de Santa Clara d’Oeste o mesmo se comprometia a trabalhar junto aos órgãos governamentais e dar o apoio da Prefeitura Municipal de Santa Clara d’ Oeste para a Campanha. Foi marcada para a próxima quinta feira, dia 17 de fevereiro de 1966, às 21 horas, nova reunião a realizar-se no escritório do Dr. Hélio de Oliveira, quando seriam escolhidos os demais membros da Mesa Administrativa. Vários oradores usaram da palavra tecendo comentários a respeito de como deveria ser feita a Campanha. E continuando a fazer uso da palavra, o Padre Afonso convidou o Dr. Hélio de Oliveira para secretário geral da Mesa e o Sr.Daniel Mercaroni, que, com a concordância dos presentes, aceitaram os convites formulados. Foi ainda comentado que deveria ser constituído subcomissões nos municípios vizinhos. Comentou-se, ainda, a respeito da construção do Hospital, planta, local, etc. foi solicitado a mim que explicasse, de acordo com os Estatutos da Santa Casa de Misericórdia de Jales, sobre a modalidade dos sócios existentes. Ficaram encarregados de se comunicar com pessoas de Santa Rita d’ Oeste, José Geraldo Barbuglia Abbade de Santa Clara d’ Oeste, Padre Afonso de Rubnéia e Três Fronteiras o Dr.Hélio de Oliveira. E estiveram presentes a esta reunião: Padre Afonso Nepenbroch, Holandês, paroquia local, Dr. Helio de Oliveira, Brasileiro, Engenheiro Agrônomo; Dr. Nelson Brchelli, Brasileiro, Médico; Dr, Hélvecio Botelho Siqueira, Brasileiro, Médico; Evaristo Gonzales Martinez, Brasileiro, Comerciante; José Domingues da Fonseca, Brasileiro, comerciante; Aureo Adriano Lepore, Brasileiro, Professor Daniel Mercaroni, Brasileiro, Bancario; Miguel Cecílio Ruiz, Brasileiro, Comerciante; Oswaldo Grespan, Brasileiro, Bancario; Jeronimo de Paula, Brasileiro, Professor; José Oishi, Brasileiro, Comerciante; Américo Rossi, Brasileiro, lavrador; José Alexandre Santana, Brasileiro, Cerealista; Cesário Crema, Brasileiro, Lavrador; Bolivar Mendes, Brasileiro, Comerciante, Plinio Campanholo, Brasileiro, Marceneiro e Dr. José Geraldo Barbuglia Abbade, Brasileiro, Médico. Não havendo mais nada a tratar, foi dada por encerrada a presente sessão, da qual eu, José Geraldo Baarbuglia Abbade, secretario “ad hoc”, lavrei a presente ata, que vai por mim assinada. Santa Fé do Sul, 13 de fevereiro dde 1.996.(a) José Geraldo Barbuglia Abbade.

 

ATUALMENTE

A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul é um Hospital Geral de média complexidade, com 96 leitos dos quais 78 são exclusivos aos utentes do Sistema Único de Saúde, e que atua prioritariamente nas áreas de: Clínica Geral, Clínica Cirúrgica, Clínica Gineco-Obstétrica, Clínica Ortopédica, Clínica Pediátrica e Clinica Cardiológica, além de atender as urgências e emergências 24 horas.

A Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul é o único hospital existente em uma micro-região composta por seis municípios Santa Clara d’ Oeste , Santa Rita d’ Oeste, Rubinéia, Três Fronteiras, Nova Canaã Paulista e Santa Fé do Sul atendendo uma população geral de 43,600.

Possui 42 médicos no seu Corpo Clínico, oferecendo assim as especialidades de Cardiologia, Ginecologia e Obstetrícia, Gastroenterologia, Clinica Médica, Clinica Cirúrgica, Urologia, Traumato-Ortopedia, Intensivista, Oftalmologia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Anestesia e Radiologia.  Tem 245 funcionários, dos quais 145 são da área de enfermagem.

Tem uma média anual de internação de 19.596 pacientes-dia, 196.899 atendimentos ambulatórias e de urgência e emergência, 625 partos, 827 cirurgias, com média de permanência de 4,69 dias e taxa de ocupação de 41,99 Cerca de 85 % de todos os procedimentos praticados são de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

estatuto